quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Eunício reconhece importância do MP, mas teme pela exposição negativa de Lula

Em entrevista ao Jornal do Cariri (JC), o senador Eunício Oliveira (PMDB), falou sobre as recentes investigações relacionadas ao patrimônio do ex-presidente Lula (PT). Eunício observou que o Ministério Público tem um papel fundamental na defesa dos interesses da sociedade brasileira, mas, disse ter preocupação com os exageros. Para ele, às vezes falta serenidade, antes de expor pessoas.

Eunício disse ser a favor da “Lava Jato”, do Ministério Público e de qualquer investigação, mas é contra a exposição das pessoas sem que as investigações sejam conclusas e os investigados julgados em última instância. “Nós aprovamos a delação premiada, mas muitas vezes um bandido, para se safar de uma pena longa, acaba mentindo e isso é preocupante quando não existem provas contundentes,” disse.

Para Eunício, o ex-presidente Lula é uma liderança nacional e, ninguém, vai tirar isso dele. Ele observa que Lula está sendo acusado em um processo de investigação e, ainda, não existe julgamento. “Se a investigação concluir que o presidente Lula é culpado, então ele deve ser exposto; mas imagine que lá na frente ele seja inocentado, quem vai repor o prejuízo causado a sua imagem pessoal e política?” disse Eunício, lembrando que a própria Constituição dá amplo direito de defesa.

Apesar da defesa ao ex-presidente Lula, o senador disparou contra a ex-presidenta Dilma Rousseff (PT). Sobre o impeachment, Eunício disse que ela perdeu o mandato por falta de sustentação no Congresso Nacional, ocasionada pela desastrosa política econômica implantada no País.

Segundo Eunício, a economia brasileira foi destruída nos últimos anos, levando o país a uma crise sem precedentes. Para ele, a entrada de Michel Temer cria uma nova expectativa na sociedade brasileira do ponto de vista econômico. Eunício avaliou, ainda, que quando se gasta mais do que arrecada, em administração pública, está se comprando fiado em nome do povo que o elegeu.

Juazeiro. Arnon dispensa apoio de Raimundão

O candidato a prefeito de Juazeiro do Norte, Arnon Bezerra (PTB), descartou a possibilidade de uma aliança com o prefeito Raimundo Macedo (PMDB), que cogita a possibilidade de desistir da reeleição. Segundo Arnon, a campanha de Raimundão sempre o atacou e isso inviabiliza a união.

Arnon apresentou, ainda, alguns motivos que impedem a união, entre eles, a diferença de projetos de governo para o município. Para Arnon, sua candidatura representa a mudança ao atual modelo que administra Juazeiro. Raimundão está com sua campanha paralisada e, ainda, não falou sobre quem vai apoiar para o restante da campanha eleitoral.

Raimundão enfrenta uma das rejeições mais altas da história política de Juazeiro e terá dificuldades, caso queira subir em algum palanque que não seja o seu. A recusa de Arnon é a confirmação da situação que beira o vexame.

Apesar do discurso forte contra Raimundão, como deputado federal, Arnon foi um dos principais apoiadores do prefeito na eleição de 2012, com a indicação de seu irmão como vice-prefeito.

Expulsão. Manoel Santana vai fazer caça as bruxas no PT de Juazeiro

O presidente municipal do PT, em Juazeiro do Norte, deputado estadual Manoel Santana, garante que o grupo de militantes que apóiam outra candidatura fora da decisão do partido, serão expulsos da sigla. Santana se refere ao grupo que declarou apoio a candidatura a prefeito do deputado federal Arnon Bezerra (PTB).

Para Santana, os militantes ferem o estatuto do partido cometendo infidelidade partidária. Os militantes estariam desobedecendo as instâncias do partido  que decidiu pela composição na chapa encabeçada pelo empresário Gilmar Bender (PDT). O PT compõe a chapa com a candidatura a vice-prefeito.

A tensão aumentou após a substituição do nome de Manoel Santana pelo seu filho, Gabriel Santana, na condição de vice na chapa de Bender. Segundo o grupo de oposição interna, não houve discussão na Executiva ou no Diretório para a substituição do nome. O grupo ameaça levar o caso a Executiva Estadual do PT.

Barro. MPE pede impugnação de Marquinélio

O candidato a prefeito de Barro, Marquinélio Tavares (DEM), sofreu mais uma derrota na sua pretensão de voltar a Prefeitura do município. O Ministério Público Eleitoral (MPE) reafirmou o pedido de impugnação da candidatura do ex-prefeito por estar enquadrado na Lei da Ficha Limpa.

Marquinélio teve seu registro indeferido pelo juiz da Eduardo André Dantas, da 92ª Zona Eleitoral, mas recorreu ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE), e espera julgamento do Pleno. Mesmo com a clara possibilidade de derrota no Pleno do TRE, o ex-prefeito continua negando a possível queda.

No início da semana seu assessor jurídico foi a rádio local para desqualificar o pedido do MPE e reafirmar que a campanha segue a todo vapor.

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Jogada. Raimundão ameaça renunciar candidatura a prefeito de Juazeiro

O prefeito de Juazeiro do Norte, Raimundo Macedo (PMDB), reuniu sua base política na noite dessa quarta-feira (21), para anunciar a suspensão das atividades de campanha por 3 dias. Aos aliados, disse que a decisão é motivada por perseguições políticas.

Segundo informações, há grande possibilidade de Raimundão renunciar a disputa para apoiar o candidato governista Arnon Bezerra (PTB). Desde à tarde da terça-feira (20), que representantes do prefeito conversam com o Arnon, estima-se, para chegar a um acordo para as bases do apoio.

Apesar do recente tensionamento entre os dois candidatos, com troca de acusações e insultos, noticiados pelo Jornal do Cariri, os ex-aliados podem reatar politicamente. O problema é que horas mais tarde, já circulava nas redes sociais material publicitário com frases do tipo: “Fica Raimundão”.

Raimundão deve seguir para Fortaleza nesta quinta-feira (22), onde terá uma reunião com o senador Eunício Oliveira, o que, segundo pessoas próximas, deve definir seu futuro político nessa eleição. Nas campanhas opositoras a avaliação é que tudo não passa de jogada publicitária para promover comoção entre os eleitores.

Campanha. Lula movimenta militância petista no Crajubar

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva movimentou a militância petista e de partidos aliados nas cidades de Crato, Juazeiro do Norte e Barbalha. Lula desembarcou no hangar do Ciopaer, em Juazeiro, às 10 horas, onde fez breve fala ao lado do candidato do PDT, Gilmar Bender.

Após a recepção, com mais de 5 mil pessoas, Lula seguiu para Barbalha onde participou de comício do candidato do PT, Fernando Santana. Por volta das 12 horas, o ex-presidente participou de comício do candidato governista Zé Ailton Brasil, no Crato. Durante as atividades Lula esteve acompanhado do governador Camilo Santana, do deputado federal José Guimarães e do deputado estadual Manoel Santana.

Nos discursos, além dos pedidos de apoio as candidaturas articuladas pela base petista no Crajubar, o ex-presidente Lula convocou a militância para defender o partido dos ataques, qualificados por ele como covardes, da direita brasileira. Lula desafiou que se prove qualquer ato ilícito na sua trajetória política.

O ex-presidente completou sua agenda no Ceará participando de comícios em Iguatu e Fortaleza. No fim da noite seguiu para São Paulo.

terça-feira, 20 de setembro de 2016

Eleições 2016. Candidatos não podem ser presos

O sonho de todo candidato a prefeito ou vereador é ver seu oponente preso por qualquer motivo que seja. Mas, este sonho ficou mais difícil a partir do dia 17 deste mês. Uma medida do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), baseada num dispositivo da Lei Eleitoral, restringe a prisão para casos extremos, onde o candidato seja pego em flagrante delito.

O anúncio foi feito pelo ministro Admar Gonzaga que avaliou a medida como necessária para que prisões não sejam usadas como elemento de constrangimento político, afastando o candidato da campanha. Teoricamente, a medida é correta, principalmente, para o uso do poder e da máquina pública para constranger adversários.

A dúvida é se prefeitos, candidatos a reeleição, investigados por corrupção terão que esperar o fim das eleições para serem presos, caso haja decisão da Justiça neste sentido.

Várzea Alegre. Homero faz campanha contra a Lei

O candidato a prefeito de Várzea Alegre, Homero Fiuza (PDT), parece ter perdido a noção das limitações impostas pela Lei Eleitoral. No dia 18, o candidato anunciou o “Homero Fólia”. O tipo de festa está vedado pela legislação e pode sofrer punições com a aplicação de multas.

Outro crime eleitoral cometido pelo candidato restringe a chegada de obras do Governo do Estado para o município a sua vitória nas urnas. O Ministério Público Eleitoral pode entender a atitude como abuso de poder político. Homero tem o apoio do prefeito Vanderlei Freire (PDT) e do governador Camilo Santana (PT).

A coligação do candidato da oposição, Zé Helder, promete recorrer às autoridades competentes para denunciar as práticas ilegais. A promessa de Homero é que Várzea Alegre terá o maior crescimento do Cariri. Pelo menos, ele é bem otimista.

Procap. Prefeita de Jati investigada por indenizações de terrenos

A prefeita de Jati, Maria de Jesus Diniz, a Neta (PSD), parece ter uma queda pelo comercio de terrenos. Além de administrar a prefeitura, Neta atua agenciadora das áreas; detalhe, com o dinheiro do povo. Recentemente, a prefeita indenizou dois terrenos para obras no município e as duas áreas pertenciam a seus familiares.

No primeiro, foi construído uma Academia de Saúde que não funciona. Mas, o caso mais grave aconteceu na indenização do terreno para a construção de um estádio de futebol. A prefeitura pagou cerca de R$ 460 mil pela área e mais de R$ 1 milhão para construir um estádio que só tem muros.

O caso foi denunciado pelo Ministério Público do Estado (MPCE) e a Procap investiga. No fim de agosto a Procap fez oitivas com envolvidos e a população espera resposta.

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Juazeiro. Arnon e Raimundão perto dos julgamentos, mas longe das impugnações

Os candidatos a prefeito de Juazeiro do Norte, Raimundo Macedo (PMDB) e Arnon Bezerra (PTB), devem ter seus pedidos de impugnações julgados pelo Pleno do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), ainda esta semana. Os dois estão, respectivamente, nas listas do TCM e TCU. A expectativa movimenta as especulações acerca do futuro da disputa. Novas alianças dependem dos resultados.

Apesar da boa vontade da Justiça Eleitoral em realizar todos os julgamentos de pedidos de indeferimento de candidaturas, o resultado dos processos de impugnações está longe de uma decisão definitiva. O prazo, espirado no dia 12 deste mês, serve apenas para as decisões de primeira instância.

Além de direito a defesa na primeira decisão os candidatos ficha suja ou com problemas na documentação, podem recorrer ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e, dependendo do resultado, estender a batalha judicial até a instância maior do judiciário brasileiro, o Superior Tribunal Federal (STF).

O STF, aliás, já decidiu que a lista do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), não pode deixar um candidato inelegível sem que as Câmaras de Vereadores tenham decidido pela rejeição das contas, caso tenham sido prefeitos. Na verdade, o problema para os candidatos impugnados, em primeira instância, é o desgaste político; e nada mais.